Em busca do Criador

José de Paiva Netto

Habitantes do Universo — seja ele físico ou espiritual, com suas numerosas possibilidades de atuação da criatura —, somos naturalmente receptivos à cultura do Ecumenismo dos Corações, instrumento capaz de nos iluminar o raciocínio e a Alma na incessante busca do Criador.

E não se trata de um roteiro fácil. O religioso que exerce dignamente seu ministério sofre muito; o cientista de vanguarda em geral padece da incompreensão de seus pares; o político honesto é constantemente pressionado pela corrupção que envergonha o planeta; o filósofo de visão avançada se angustia com o pensamento ainda limitado de sua geração; e assim por diante.

O ALERTAMENTO DE SCHILLER E A FUNÇÃO DA DOR

Em “Jesus, a Dor e a origem de Sua Autoridade”, livro que estou para lançar, em 8 de novembro, nos 25 anos do TBV, teço longa dissertação sobre a Dor, pois infelizmente este tem sido o roteiro interpretado pela Humanidade. No entanto, faço-o inspirado no extraordinário exemplo de Jesus, o Cristo Ecumênico; portanto, não para a derrota nossa no desânimo, mas visando à vitória, visto que os tenho capacitado para pegar até do tormento e, com ele, alavancar a coragem. Meu intuito, assim, é mostrar a Vocês que a Dor nos fortalece e nos instrui a vencer todos os obstáculos. (…) Suplantar a adversidade foi uma das maiores lições que Jesus nos legou. E o Pai Celestial deu-Lhe a Sua bênção, fazendo-O herdeiro do Poder e da Autoridade Dele. Jesus, o Pedagogo Sublime, misericordiosamente oferta essa Magna Autoridade — em diversos graus, na escala da experiência celeste — aos que já tenham compreendido que o governo da Terra tem início no Plano da Verdade. Estejamos, pois, atentos, porque vivemos, em intensidade vertiginosa — bem que a maioria não perceba—, a transição apocalíptica anunciada desde os Profetas do Antigo Testamento, entre eles Daniel, Isaías, Ezequiel e Zacarias.

Sobre essa antevista era de transformação planetária, existem os que nela com firmeza confiam, bem como os que não lhe concedem o mínimo crédito. Ocorre, todavia, que, na contemporaneidade, pensadores e cientistas de renome têm vivenciado preocupações que antes não lhes abalavam o labor, quais sejam, o aquecimento global, com a aceleração das mudanças climáticas, além do perigo da guerra pela água, pela futura falta de combustível e pelo espaço vital, tendo em vista o grande crescimento da população do planeta.

Notamos que algo começa a sacudir os mais renitentes negadores daquilo que os de visão espiritual aclarada percebem com vasta antecedência, como, por exemplo, a existência do Mundo ainda Invisível, a Morada dos Espíritos.

Friedrich von Schiller (1759-1805), dramaturgo, poeta, filósofo e historiador alemão,

Friedrich von Schiller Foto: Reprodução LBV

resumiu o quadro atual com as seguintes palavras: “— Se do céu não desce a chispa que inflama, se não se aviva o Espírito, os corações languescem”.

A função pedagógica divina da Dor não é a de nos destruir, porém a de nos elevar no caminho da salvação. Vejam por que o Apocalipse foi escrito. E, já lhes disse, ele é uma carta de Amor de Deus a nós, Seus filhos: “— Bem-aventurados aqueles que lavam as suas vestiduras no sangue do Cordeiro de Deus, para que lhes assista o direito à Árvore da Vida Eterna e para entrarem na cidade [Jerusalém Celestial] pelas portas” (Apocalipse, 22:14).

Novamente destaco: “Aqueles que lavam as suas vestiduras no sangue do Cordeiro de Deus”, isto é, em suma, aprender e vivenciar a Santa Doutrina do Cristo, que fala ao coração e clareia o cérebro e pela qual Ele entregou Sua vida. Assim, corrigiremos nossos equívocos e teremos nossa Alma limpa por esse Divino Conhecimento.

José de Paiva Netto – jornalista, radialista, escritor e filósofo.

Alma, Deus, Ecumenismo, Filosofia, Paiva Netto , , , ,

Le suicide né résout les angoisses de personne

 

José de Paiva Netto, journaliste, homme de radio et éscrivain. II est président de la Légion de la Bonne Volonté. Foto: Raquel Bertolin.

Alziro Zarur (1914-1979) nous enseignait que : 

— Le suicide ne résout les angoisses de personne.

L’auteur des Poèmes de l’Ère Atomique avait raison. 

Se tuer ébranle, pour longtemps, l’existence de l’Esprit, car c’est une offense à la Loi Divine, qui est Amour, mais aussi Justice.

Quand la douleur vous étreint, s’il vous plaît, souvenez-vous de cette page d’André Luiz, dans la psychographie du vénérable Francisco Cândido Xavier (1910-2002) :

UN PEU PLUS*¹

« Quand tu seras prêt à exploser de colère, tais-toi un peu plus, et le silence t’épargnera d’énormes contrariétés.

« Quand tu seras tenté de collaborer à la médisance, garde un peu plus les principes du respect et de la fraternité, et la bienveillance te livrera de beaucoup de complications.

« Quand le découragement imposera la paralysie de tes forces dans la tâche pour laquelle tu auras été appelé, poursuit en agissant dans le devoir qui te revient, en exerçant un peu plus ta résistance, et l’œuvre réalisée sera pour toi une glorieuse bénédiction de lumière.

« Quand la révolte te tourmentera le cœur, utilise un peu plus l’humilité et la bonne entente, et tu ne souffriras pas du remords d’avoir blessé des cœurs que nous devons protéger et considérer.

« Quand la leçon présentera une difficulté à ton esprit, en te poussant à renoncer à un progrès individuel, applique-toi un peu plus au problème ou à l’enseignement que tu as reçu et la solution sera la divine réponse à ton expectative.

« Quand l’idée de repos suggèrera de reporter l’ouvrage que tu dois faire, persiste avec discipline un peu plus, et le devoir bien accompli sera ta couronne sanctifiante.

« Quand le travail te paraîtra monotone et inexpressif, garde un peu plus ta fidélité aux engagements assumés et la stimulation reviendra dans ton champ d’action.

« Quand l’infirmité du corps t’apportera des pensées d’inactivité, en cherchant à immobiliser tes bras et ton cœur, tu persévéras avec Jésus un peu plus et tu poursuivras en aidant tout le monde, en agissant et en servant comme tu le pourras, parce que le Divin Médecin ne reçoit jamais de sollicitations en vain.

« Pour toute difficulté ou empêchement, n’oublies pas d’utiliser un peu de patience, d’amour, de renonciation et de Bonne Volonté, en faveur de ton propre bien-être.

« Le secret de la victoire, dans tous les secteurs de la vie, réside dans l’art d’apprendre, d’imaginer, d’espérer et de faire un peu plus”.

Le Psaume 31 : 25 de la Sainte Bible avertit fraternellement :

– Fortifiez-vous et que votre cœur s’affermisse, Vous tous qui espérez en l’Éternel. 

Le rabbin Henry Sobel ajoute :

– Nous ne sommes pas les maîtres de la Vie, mais à peine ses gardiens.

Honorons donc le don extraordinaire que Dieu nous a concédé, qui est la Vie, et Il viendra toujours nous secourir par les moyens les plus inimaginables et efficaces qui soient. 

Il est essentiel que nous sachions comprendre humblement Ses messages et que nous les appliquions avec la Bonne Volonté et l’efficacité qu’Il attend de nous.

Être en accord permanent avec le Pouvoir Divin ne peut que dompter notre Esprit, pour qu’il soit capable de survivre à la douleur, même en pleine conflagration des déséquilibres humains.

Du livre Billy Graham answers your questions (Billy Graham répond à vos questions), surgit cette élucidation de ce pasteur respecté nord-américain :

— La vie nous a été accordée par Dieu et Lui seul a le droit de la retirer. En plus, et même dans les circonstances les plus difficiles, Dieu est avec nous. (…) Je dois insister sur le fait que le suicide est une erreur, il ne fait pas partie du plan de Dieu.

Dans la Quatrième Sourate du Saint Coran, nous trouvons ce renfort dans une admonestation du Prophète Muhammad :

29. Ô les croyants ! Que les uns d’entre vous ne mangent pas les biens des autres illégalement. Mais qu’il y ait du négoce (légal), entre vous, par consentement mutuel. Et ne vous tuez pas vous-mêmes. Allah, en vérité, est Miséricordieux envers vous. 

Sainte Thérèse d´Avila (1515-1582), la grande mystique de l’Espagne, nous incite à la persévérance :

— Que rien ne te trouble, Que rien ne t’épouvante.

Tout passe. Dieu ne change pas.

La patience triomphe de tout. Celui qui possède Dieu. Ne manque de rien.

Dieu seul suffit. 

La continuation de l’existence après la mort ne pourra jamais justifier le suicide. Nous continuons tous vivants.

Napoléon Bonaparte (1769-1821), quand il a déploré ce choix funeste, qui rend malheureux l’Esprit de celui qui se laisse séduire par lui, parce que l’arrivée dans l’Autre Monde de celui qui détruit son propre corps est un grand tourment, car il n’y a pas de mort après la mort, a écrit à juste titre : 

— il y a autant de vrai courage à souffrir avec constance les peines de l’âme qu’à rester fixe sous la mitraille d’une batterie. S’abandonner au chagrin sans résister, se tuer pour s’y soustraire, c’est abandonner le champ de bataille avant d’avoir vaincu. *2

Finalement, nous suivons, confiants, la voie indiquée par le Seigneur dans le livre Deutéronome, 30 : 19 :

— Je prends aujourd’hui à témoin contre vous les cieux et la terre : je te propose la vie et la mort… choisis donc la Vie, pour que toi et ta postérité vous viviez. 

Mes Amis et Frères en Humanité, la grande fortune est que nous sachions que Vivre est meilleur ! 
____
*¹ « Un peu plus » –L’anthologie de la Bonne Volonté, 1955. 

*2 Bien que Napoléon Ier ait pensé au suicide au cours de sa lourde carrière militaire et politique, il ne l’a pas pratiqué. D’où l’importance de sa pensée.
_________________________
* José de Paiva Netto, écrivain, journaliste, homme de radio, compositeur et poète, est né le 2 mars 1941, à Rio de Janeiro/RJ, Brésil. Il est président de la Légion de la Bonne Volonté (LBV), membre effectif de l’Association Brésilienne de Presse (ABI), de l’Association Brésilienne de Presse Internationale (ABI Inter), de la Fédération Nationale des Journalistes (Fenaj), de International Federation of Journalists — IFJ, de l’Académie des Lettres du Brésil Central, du Syndicat des Journalistes Professionnels de l’état de Rio de Janeiro, du Syndicat des Écrivains de Rio de Janeiro, du Syndicat des Professionnels de la radio de Rio de Janeiro, et de l’Union Brésilienne des Compositeurs (UBC).

Alma, Alziro Zarur, Amor, Chico Xavier, Deus, , Justiça, LBV, Paiva Netto , , , , , ,

Suicide does not resolve anyone’s anguish

José de Paiva Netto – journalist, radio broadcaster, and writer. He is the President of the Legion of Good Will. Foto: Raquel Bertolin.

Alziro Zarur (1914-1979) taught:

“Suicide does not resolve anyone’s anguish.”

The author of Poemas da Era Atômica [Poems from the Atomic Era] was right.

Killing affects the existence of the Spirit for a long time, because not only does it offend the Divine Law, which is Love, but also Justice.

When pain grips you, please recall this page from André Luiz, in the psychography of Francisco Cândido Xavier (1910-2002):

A LITTLE MORE *¹ 

“When you are on the verge of exploding in anger, remain quiet a little longer and silence will save you from enormous displeasures.

“When tempted to collaborate with slander, maintain the principles of respect and brotherhood a little longer and benevolence will free you from many complications.

“When discouragement paralyzes your strength for the task to which you were called upon, continue acting according to your duty, exercising resistance a little more and the work you do will become a glorious blessing of light.

“When anger pecks at your heart, use humility and a little common sense and you will not suffer the remorse of having hurt hearts that should be protected and taken into consideration.

“When the lesson becomes difficult for your mind, compelling you to cease your individual progress, focus a little more on the problem or the teaching and the solution will become a divine answer to your expectation.

“When the idea of rest suggests postponement of the work that you are responsible for, persist with a little more discipline and your fulfilled duty will become a crown of blessing.

“When your work appears monotonous and inexpressive, remain loyal a little longer to the commitments you assumed and motivation will return to your field of action.

“When illness of the body brings thoughts of inactivity, seeking to immobilize your arms and heart, persevere with Jesus a little more and continue to help others, acting and serving as you can, because the Divine Doctor never receives our pleas in vain.

“Despite all the difficulties or impediments, do not forget to use some patience, love, renunciation and goodwill in favor of your own well-being.

“The secret to victory in all sectors of life lies in the art of learning, imagining, hoping and doing a little more.”

Psalm 31:24 of the Sacred Bible warns in a brotherly way:

“Be of good courage, and he shall strengthen your heart, all you that hope in the LORD.”

Rabbi Henry Sobel meditates:

“We are not the owners of Life, but merely the guardians of it.”

Let us honor, therefore, the extraordinary gift that God gave us, which is Life, and He will always come to our help in the most unimaginable and efficient ways.

What is important is to humbly understand His messages and apply them with the goodwill and effectiveness He expects of us.

The permanent harmony with the Divine Power prepares the Spirit to have the conditions to survive pain, notwithstanding the conflagration of human distempers.

From the book Billy Graham Answers Your Questions emerges this insight from the respected North American pastor:

“Life was given to us by God and only He is entitled to take it away. Moreover, even in the midst of the most difficult circumstances, God is with us. (…) I must emphasize the fact that suicide is a mistake, not being a part of God’s plan.”

In the Fourth Sura of the Holy Qur’an we find this comfort in an admonishment from Prophet Muhammad:

29. O you who have believed, do not consume one another’s wealth unjustly but only [in lawful] business by mutual consent. And do not kill yourselves [or one another]. Indeed, Allah is to you ever Merciful.

Saint Teresa of Avila (1515-1582), the great Spanish mystic, encourages us to persevere:

“May nothing disturb you, nothing scare you.

Everything passes. Only God never changes.

With patience you can achieve everything. Those who have God lack nothing.

God alone is enough.”

The continuation of existence after death will never be a motive for suicide. We all continue alive.

Napoleon Bonaparte (1769-1821) was correct when he lamented this ill-fated choice, which saddens the Spirit of those who allow themselves to be seduced by it, because the arrival into the Other World for those who destroy their own bodies is a great torment, since there is no death after death:

“He who bravely suffers the pains of the Soul is as courageous as he who remains strong before the firing of a battery. Succumbing to pain without resisting, killing oneself to be free from the pain is to abandon the battlefield before having won.”*2

Finally, more confident, let us follow the path shown by the Lord in the Book of Deuteronomy, 30:19:

“This day I call heaven and earth as witnesses against you that I have set before you life and death, blessings and curses. Now choose life, so that you and your children may live.”

My Friends and Brothers in Humanity, the great fortune is to know that To live is better!

José de Paiva Netto – filósofo, educador, jornalista, radialista e escritor.

_________________________

* ¹ Mais um pouco [A little More] – Antologia da Boa Vontade [Anthology of Good Will], 1955.

*2 Despite Napoleon having contemplated suicide during his afflicted military and political career, he did not commit it. Hence the importance of his quote.

Alma, Alziro Zarur, Amor, , Justiça, LBV, Paiva Netto , , , , , , , , ,

O suicídio não resolve…

Ensinava Alziro Zarur (1914-1979):

—O suicídio não resolve as angústias de ninguém.

Estava com a razão o autor de Poemas da Era Atômica.

Matar-se abala, por largo tempo, a existência do Espírito, pois ofende a Lei Divina, que é Amor, mas também Justiça.

Quando a dor apertar, por favor, lembre-se desta página de André Luiz, na psicografia do venerando Francisco Cândido Xavier (1910-2002):

MAIS UM POUCO*¹

“Quando estiveres à beira da explosão na cólera, cala-te mais um pouco e o silêncio te poupará enormes desgostos.

“Quando fores tentado a colaborar na maledicência, guarda os princípios do respeito e da fraternidade mais um pouco e a benevolência te livrará de muitas complicações.

“Quando o desânimo impuser a paralisação de tuas forças na tarefa a que foste chamado, prossegue agindo no dever que te cabe, exercitando a resistência mais um pouco e a obra realizada ser-te-á gloriosa bênção de luz.

“Quando a revolta espicaçar-te o coração, usa a humildade e o bom entendimento mais um pouco e não sofrerás o remorso de haver ferido corações que devemos proteger e considerar.

“Quando a lição oferecer dificuldade à tua mente, compelindo-te à desistência do progresso individual, aplica-te ao problema ou ao ensinamento mais um pouco e a solução será divina resposta à tua expectativa.

“Quando a ideia de repouso sugerir o adiamento da obra que te cabe fazer, persiste com a disciplina mais um pouco e o dever bem cumprido ser-te-á coroa santificante.

“Quando o trabalho te parecer monótono e inexpressivo, guarda fidelidade aos compromissos assumidos mais um pouco e o estímulo voltará ao teu campo de ação.

“Quando a enfermidade do corpo trouxer pensamentos de inatividade, procurando imobilizar-te os braços e o coração, persevera com Jesus mais um pouco e prossegue ajudando a todos, agindo e servindo como puderes, porque o Divino Médico jamais nos recebe as rogativas em vão.

“Em qualquer dificuldade ou impedimento, não te esqueças de usar um pouco de paciência, amor, renunciação e Boa Vontade, a favor de teu próprio bem-estar.

“O segredo da vitória, em todos os setores da vida, permanece na arte de aprender, imaginar, esperar e fazer mais um pouco”.

O Salmo 31:24 da Bíblia Sagrada adverte fraternalmente:

– Tende coragem, e Ele fortalecerá o coração de todos vós que esperais no Senhor.

O Rabino Henry Sobel pondera:

– Não somos donos da Vida, mas apenas os guardiões dela.

Honremos, pois, o extraordinário dom que Deus nos concedeu, que é a Vida, e Ele sempre virá em nosso socorro pelos mais inimagináveis e eficientes processos.

Substancial é que saibamos humildemente entender os Seus recados e os apliquemos com a Boa Vontade e a eficácia que Ele espera de nós.

A permanente sintonia com o Poder Divino só nos pode adestrar o Espírito, para que tenha condições de sobreviver à dor, mesmo que em plena conflagração dos destemperos humanos.

Do livro Billy Graham responde, emerge esta elucidação do respeitado pastor norte-americano:

— A vida nos foi concedida por Deus e só Ele tem o direito de tirá-la. Além disso, até mesmo no meio das circunstâncias mais difíceis, Deus está conosco. (…) Devo enfatizar o fato de o suicídio ser um erro, não fazendo parte do plano de Deus.

Na Quarta Surata do Alcorão Sagrado, encontramos este conforto numa admoestação do Profeta Muhammad:

29. Ó crentes, não defraudeis reciprocamente os vossos bens por vaidade, realizai comércio de mútuo consentimento e não pratiqueis suicídio, porque Deus é misericordioso para convosco.

Santa Teresa d´Ávila (1515-1582), a grande mística da Espanha, incentiva-nos à perseverança:

— Que nada te perturbe, nada te amedronte.

Tudo passa. Só Deus nunca muda.

A paciência tudo alcança. A quem tem Deus, nada falta.

Só Deus basta.

A continuação da existência após a morte jamais poderá ser justificativa para o suicídio. Todos continuamos vivos.

Acertadamente escreveu Napoleão Bonaparte (1769-1821), quando lamentou essa inditosa escolha, que infelicita o Espírito de quem se deixa seduzir por ela, porque a chegada ao Outro Mundo daquele que destrói o seu próprio corpo é um grande tormento, porquanto não há morte após a morte:

— Tão corajoso é aquele que sofre valentemente as dores da Alma como o que se mantém firme diante da metralha de uma bateria. Entregar-se à dor sem resistir, matar-se e eximir-se à mesma dor é abandonar o campo de batalha antes de ter vencido*2.

Finalmente, confiantes, sigamos o caminho apontado pelo Senhor no livro Deuteronômio, 30:19:

— Como podes ver, coloquei hoje diante de ti a Vida e o Bem, a morte e o mal… portanto, escolhe a Vida, para que vivas tu e a tua semente.

Meus Amigos e Irmãos em Humanidade, a grande fortuna é sabermos que Viver é melhor!

*¹ “Mais um pouco” – Antologia da Boa Vontade, 1955.

*2 Apesar de Napoleão I ter pensado em suicídio durante sua atribulada carreira militar e política, não o praticou. Daí a importância do seu pensamento.

José de Paiva Netto – filósofo, jornalista, radialista e escritor.

Presidente Mundial da Legião da Boa Vontade (LBV)

Alma, Alziro Zarur, Amor, Chico Xavier, Jesus, Justiça, LBV, Paiva Netto , , , , , , , ,

II suicidio non elimina le angosce di nessuno

José de Paiva Netto

Insegnava Alziro Zarur (1914-1979):

— Il suicidio non elimina le angosce di nessuno.

E aveva ragione l’autore dei Poemi dell’Era Atomica.

L’uccidersi sconvolge per molto tempo l’esistenza dello Spirito, poiché offende la Legge Divina, che è Amore, ma anche Giustizia.

Quando il dolore esacerba, ricordati per favore di questa pagina dettata da André Luiz e psicografata dal venerando Francisco Cândido Xavier (1910-2002):

ANCORA PER UN PO’ *1

“Quando ti troverai all’orlo di un’esplosione di collera, taci ancora per un po’ ed il silenzio ti risparmierà grandi dispiaceri.

“Quando sarai tentato a collaborare con la maldicenza, serba ancora per un po’ i principi del rispetto e della fraternità e la benevolenza ti libererà da molte complicazioni.

“Quando lo scoraggiamento imporrà la paralizzazione delle tue forze nell’assolvere la funzione alla quale sei stato chiamato, procedi compiendo il tuo dovere, praticando la resistenza ancora per un po’ e l’opera realizzata sarà per te una gloriosa benedizione di luce.

“Quando la ribellione ti tormenterà il cuore, adopera l’umiltà e la buona intesa ancora per un po’ e non soffrirai il rimorso di aver ferito dei cuori che dobbiamo proteggere e avere in considerazione.

“Quando la lezione presenterà delle difficoltà alla tua mente obbligandoti a rinunciare al progresso individuale, applicati al problema oppure all’insegnamento ancora per un po’ e la soluzione sarà la divina risposta alla tua aspettativa.

“Quando l’idea del riposo ti suggerirà di rimandare il lavoro che devi fare, mantieni la disciplina ancora per un po’ ed il dovere compiuto sarà per te una gloria santificante.

“Quando il lavoro ti sembrerà monotono ed inespressivo, mantieni la fedeltà agli impegni assunti ancora per un po’ e lo stimolo tornerà nel tuo campo di azione.

“Quando l’infermità del corpo arrechererà pensieri d’inattività cercando di immobilizzare le braccia ed il cuore, persevera con Gesù ancora per un po’ e procedi aiutando tutti, agendo e servendo come potrai, perché il Divino Medico non riceve mai le suppliche invano.

“In qualsiasi difficoltà od ostacolo non ti dimenticare di portare un po’ di pazienza, amore, rinuncia e Buona Volontà, per il tuo benessere stesso.

“Il segreto della vittoria, in tutti i settori della vita, si trova nell’arte di imparare, immaginare, sperare e fare un po’ di più”.

Il Salmo 31:25 della Sacra Bibbia avverte fraternalmente:

- Abbiate coraggio, ed Egli fortificherà il cuore di voi tutti che sperate nel Signore!.

Il Rabino Henry Sobel pondera:

- Non siamo i padroni della Vita, ma soltanto i suoi guardiani.

Facciamo quindi onore allo straordinario dono che Dio ci ha concesso, che è la Vita, ed Egli sempre ci verrà in aiuto nei modi più efficenti ed inimmaginabili.

In sostanza dobbiamo cercare di capire con umiltà i Suoi messaggi e di applicarli con la Buona Volontà e l’efficacia che Egli si aspetta da noi.

La perenne sintonia con il Potere Divino può soltanto addestrarci lo Spirito affinché possiamo avere le condizioni di sopravvivere al dolore, persino in piena conflagrazione delle smoderatezze umane.

Dal libro “Billy Graham Risponde” emerge questo chiarimento del rispettato pastore statunitense:

— La vita ci è stata concessa da Dio e soltanto Lui ha il diritto di togliercela. Inoltre, persino nelle circostanze più difficili, Dio è con noi. (…) Devo enfatizzare il fatto che il suicidio è un errore poiché non fa parte del piano di Dio.

Nella Sura 4 del Sacro Corano troviamo conforto in quest’ammonimento del Profeta Muhammad:

29. O voi che credete, non divorate vicendevolmente i vostri beni per vanità, ma commerciate con mutuo consenso e non uccidetevi da voi stessi, perché Dio è misericordioso verso di voi.

Santa Teresa d’Avila (1515-1582), la grande mistica della Spagna, ci incoraggia a perseverare:

- Che nulla ti perturbi, nulla ti intimorisca.
Tutto passa. Soltanto Dio non cambia mai.
La pazienza ottiene tutto. A colui che ha Dio, nulla manca.
Soltanto Dio basta.

La continuazione dell’esistenza dopo la morte non potrà mai essere una giustificazione al suicidio. Tutti dobbiamo proseguire vivi.

In modo opportuno scrisse Napoleone Bonaparte (1769-1821) quando deplorò questa sciagurata scelta che rende infelice lo Spirito di chi si lascia sedurre da essa, poiché l’arrivo all’Altro Mondo di colui che distrugge il proprio corpo è un grande tormento, non essendoci morte dopo la morte:

— Tanto coraggioso è colui che soffre valorosamente i dolori dell’Anima quanto colui che si mantiene indomito dinanzi al mitragliare di una batteria. Lasciarsi andare al dolore senza resistere, uccidersi ed esimersi dallo stesso dolore significa abbandonare il campo di battaglia prima di aver vinto *2.

Infine, fiduciosi seguiamo il cammino indicato dal Signore nel libro Deuteronomio, 30:19:

— Come puoi vedere oggi Io ti ho posto davanti la Vita e il Bene, la morte ed il male… scegli dunque la Vita, onde tu viva, tu e la tua progenie.

Amici e Fratelli miei in Umanità, la nostra grande fortuna è quella di sapere que Vivere è meglio!

____________________________

*¹ “Ancora per un po’ ” – Antologia della Buona Volontà, 1955.
*2 Nonostante Napoleone I abbia pensato al suicidio durante la sua tribolata carriera militare e politica, non lo commise. Per cui l’importanza del suo pensiero.

José de Paiva Netto, scrittore, giornalista, conduttore radiofonico, compositore e poeta, è nato il 2 marzo 1941, a Rio de Janeiro/RJ, Brasile. È Direttore Presidente della Legione della Buona Volontà (LBV), membro effettivo dell’Associazione Brasiliana della Stampa (ABI), della Associazione Brasiliana della Stampa Internazionale (ABI Inter), della Federazione Nazionale dei Giornalisti (Fenaj), della International Federation of Journalists (IFJ), dell’Accademia di Lettere del Brasile Centrale, del Sindacato dei Giornalisti Professionali dello Stato di Rio de Janeiro, del Sindacato degli Scrittori di Rio de Janeiro, del Sindacato dei Radiocumunicatori di Rio de Janeiro e dell’Unione Brasiliana dei Compositori (UBC). É un autore riconosciuto internazionalmente per la concettualizzazione e la difesa della causa della Cittadinanza e della Spiritualità Ecumeniche che, secondo lui, costituiscono “la culla dei valori più generosi che nascono dall’Anima, la dimora delle emozioni e del raziocinio illuminato dall’intuizione, l’atmosfera che avvolge tutto ciò che trascende il campo volgare della materia e proviene dalla sensibilità umana elevata, ad esempio della Verità, della Giustizia, della Misericordia, dell’Etica, dell’Onestà, della Generosità, dell’Amore Fraterno”.

Alma, Alziro Zarur, Amor, Chico Xavier, Deus, LBV, Paiva Netto , , , ,

El suicidio no resuelve las angustias de nadie

 

José de Paiva Netto, Presidente de la Legión de la Buena Voluntad. Foto: Raquel Bertolin.

Enseñaba Alziro Zarur (1914-1979): 

—El suicidio no resuelve las angustias de nadie.

Tenía razón el autor de Poemas de la Era Atómica. 

Matarse debilita, por largo tiempo, la existencia del Espíritu, pues ofende la Ley Divina, que es Amor, pero también Justicia.

Cuando el dolor sea intenso, por favor, recuerde esta página de André Luiz, en la psicografía del venerado Francisco Cândido Xavier (1910-2002):





UN POCO MÁS *¹

“Cuando estuvieres al borde de la explosión, con cólera, cállate un poco más y el silencio te ahorrará enormes disgustos.

“Cuando fueres tentado de colaborar con la maledicencia, guarda los principios del respeto y de la fraternidad un poco más y la benevolencia te librará de muchas complicaciones.

“Cuando el desánimo imponga la paralización de tus fuerzas en la tarea para la que fuiste llamado, prosigue actuando en el deber que te corresponde, ejercitando la resistencia un poco más y la obra realizada será tu gloriosa bendición de luz.

“Cuando la rabia sacuda tu corazón, usa la humildad y el buen entendimiento un poco más y no sufrirás el remordimiento de haber herido corazones que debemos proteger y considerar.

“Cuando la lección ofrece dificultad a tu mente, obligándote a desistir del progreso individual, concéntrate en el problema o en la enseñanza un poco más y la solución será divina respuesta a tu expectativa.

“Cuando la idea de reposo sugiere posponer la obra que te corresponde hacer, persiste con la disciplina un poco más y el deber bien cumplido será tu corona santificante.

“Cuando el trabajo te parece monótono e inexpresivo, guarda fidelidad a los compromisos asumidos un poco más y el estímulo volverá a tu campo de acción.

“Cuando la enfermedad del cuerpo te trae pensamientos de inactividad, buscando inmovilizarte los brazos y el corazón, persevera con Jesús un poco más y prosigue ayudando a todos, actuando y sirviendo como pudieres, porque el Divino Médico jamás recibe nuestros ruegos en vano.

“En cualquier dificultad o impedimento, no te olvides de usar un poco de paciencia, amor, renunciación y Buena Voluntad, a favor de tu propio bienestar.

“El secreto de la victoria, en todos los sectores de la vida, está en el arte de aprender, imaginar, esperar y hacer un poco más”.

El Salmo 31:24 de la Sagrada Biblia advierte fraternalmente:

– Tened coraje, y Él fortalecerá el corazón de todos vosotros que esperáis en el Señor. 

El Rabino Henry Sobel pondera:

– No somos dueños de la Vida, sino solo sus guardianes.

Honremos, pues, el extraordinario don que Dios nos concedió, que es la Vida, y Él siempre vendrá en nuestro auxilio, mediante los más inimaginables y eficientes procesos.

Sustancial es que sepamos humildemente entender Sus recados y los apliquemos con la Buena Voluntad y la eficacia que Él espera de nosotros.

La permanente sintonía con el Poder Divino solo nos puede educar el Espíritu, para que esté en condiciones de sobrevivir al dolor, aún en plena exaltación de los desatinos humanos.

Del libro Billy Graham responde, surge esta dilucidación del respetado pastor norteamericano:

— La vida nos fue concedida por Dios y solo Él tiene el derecho de quitarla. Además, aún en medio de las circunstancias más difíciles, Dios está con nosotros. (…) Debo enfatizar el hecho de que el suicidio es un error, que no forma parte del plan de Dios.

En la Cuarta Surata del Corán Sagrado, encontramos este aliento en una amonestación del Profeta Mahoma:

29. Oh creyentes, no defraudéis recíprocamente vuestros bienes por vanidad, realizad comercio de mutuo consentimiento y no practiquéis suicidio, porque Dios es misericordioso para con vosotros. 

Santa Teresa d´Ávila (1515-1582), la gran mística de España, nos incentiva a la perseverancia:

— Que nada te perturbe, nada te amedrente.

Todo pasa. Solo Dios nunca cambia. 

La paciencia todo lo alcanza. A quien tiene a Dios, nada le falta. 

Solo Dios basta. 

La continuación de la existencia después de la muerte jamás podrá ser una justificación para el suicidio. Todos continuamos vivos.

Acertadamente, escribió Napoleón Bonaparte (1769-1821), cuando lamentó esa desafortunada selección, que hace infeliz el Espíritu de quien se deja seducir por ella, porque la llegada al Otro Mundo de aquel que destruye su propio cuerpo es un gran tormento, ya que no hay muerte después de la muerte: 

— Tan audaz es aquel que sufre valientemente los dolores del Alma como el que se mantiene firme ante la metralla de una batería. Entregarse al dolor sin resistir, matarse y librarse del dolor es abandonar el campo de batalla antes de haber vencido*2.

Finalmente, confiados, sigamos el camino señalado por el Señor en el libro Deuteronomio, 30:19:

— Como puedes ver, he puesto hoy ante ti la Vida y el Bien, la muerte y el mal… por tanto, selecciona la Vida, para que vivas tú y tu semilla. 

Mis Amigos y Hermanos en Humanidad, la gran fortuna es saber que ¡Vivir es mejor! 

José de Paiva Netto – jornalista, radialista, escritor e filósofo.

Alma, Alziro Zarur, Amor, Chico Xavier, Deus, , Justiça, LBV, Paiva Netto , , , , , ,

Um Amigo que retorna

Comentarei hoje com Vocês sobre a volta de um Grande Amigo da Humanidade. É assunto que muita emoção traz às nossas Almas. Independentemente da linha de pensamento que qualquer um de nós adote, é unânime em nossos corações o anseio de ter por perto alguém que nos direcione por bons caminhos, nos exemplifique elevados caracteres de convivência espiritual, humana e social.

Observo no retorno de Jesus, o Cristo Ecumênico, isto é, Universal, o Divino Estadista, ao planeta Terra uma bem-aventurança para todas as comunidades.

Em minhas palestras pelo rádio, pela televisão, pela internet e pela imprensa, tenho sempre procurado analisar esse Sublime Acontecimento. Em uma delas, no meu livro “Apocalipse sem medo”, ainda antes de ingressarmos no atual milênio, assim considerei:

TEMPO DE DEUS

Jesus ressuscitou ao terceiro dia. Vejam bem: ressuscitou! (Evangelho, consoante Lucas,

O Cristo retorna todos os dias nos corações de Boa Vontade. Foto: Reprodução LBV

24:1 a 12):

“1 No primeiro dia da semana, as mulheres que tinham acompanhado Jesus desde a Galileia foram ao túmulo, de madrugada, levando os aromas que haviam preparado.

“2 E acharam a pedra removida do sepulcro;

“3 todavia, ao entrar, não acharam o corpo de Jesus.

“4 Estando perplexas com o acontecimento, surgiram-lhes à frente dois Anjos com vestes resplandecentes.

“5 Tomadas pelo temor, baixaram os olhos para o chão. Eles então lhes falaram: Por que procurais entre os mortos Aquele que vive?

“6 Ele não está aqui. Ressuscitou! Lembrai-vos do que vos prometeu, quando ainda se encontrava na Galileia.

“7 Ele vos advertiu que o Filho de Deus seria entregue nas mãos de pecadores e, crucificado, ressuscitaria ao terceiro dia.

“8 Então se recordaram das Suas palavras.

“9 Voltando do túmulo, anunciaram todos estes fatos aos onze e àqueles que ali estavam.

“10 Eram Maria Madalena, Joana, Maria, mãe de Tiago. Também as demais que vieram com elas confirmaram tais maravilhas aos Apóstolos.

“11 Esses relatos lhes pareciam como um delírio, e não deram fé ao testemunho delas.

“12 Pedro, contudo, levantou-se e correu ao sepulcro. Lá chegando, nada mais viu além dos lençóis de linho. Retirou-se então para casa, maravilhado com o que ocorrera”.

A DIVINA REFERÊNCIA

Jesus, ao terceiro dia, voltará. Mas no Tempo Dele, não conforme a contagem humana, que é cheia de equívocos. Que o diga Dionísio Exíguo (470-544). Errou nos cálculos que foram usados por Gregório XIII (1502-1585), na sua reforma do calendário, em 1582. O Cristo não se pode valer de uma cronologia que já nasceu errada e que, ainda mais, não é utilizada por muitas das nações.

Digamos, para argumentar, que o Tempo, para análise dos assuntos proféticos, deveria ser contado desde que a Terra surgiu no Universo. A partir dessa marcação, encontraríamos a data correta para a época do Retorno de Jesus, posto que assim estaríamos de acordo com o Planejamento Divino, segundo o qual este planeta foi estruturado.

Acima de tudo, não podemos nos esquecer de que o Cristo retorna todos os dias nos corações de Boa Vontade, mesmo nos daqueles que não O louvam declaradamente, porque Ele é uma Sagrada Referência ao Bem, para o qual não devem existir fronteiras intransponíveis. É um fenômeno espiritual que se dá conosco, para o qual precisamos exercitar olhos de ver e ouvidos de ouvir, como aconselha o Celeste Professor nas mensagens às Sete Igrejas da Ásia, que hoje estão no mundo inteiro envolvendo a Política, a Ciência, a Filosofia, a Economia, a Religião, a Arte, o Esporte e assim por diante.

“— Quem tem ouvidos de ouvir ouça o que o Espírito diz às igrejas do Senhor. Ao vencedor, darei a comer dos frutos da Árvore da Vida Eterna que se encontra no paraíso de meu Deus” (Carta de Jesus à Igreja em Éfeso, Apocalipse, 2:7).

José de Paiva Netto – jornalista, radialista, escritor e filósofo.

Alma, Apocalipse, Deus, Evangelho, Jesus, LBV, Paiva Netto , , , , ,

Uma pequena célula humana

É preciso manter a atenção constante aos fatos. Por menores que sejam, podem tornar-se tormentosos. Diante da vastidão do planeta, um ser humano é minúsculo, mas como é imensa a sua importância; portanto, a dos seus atos também. Valho-me, por exemplo, da Primeira Guerra Mundial, que, em 28/7, completou 100 anos.

Um mês antes, quem matou, em 28 de junho de 1914, o arquiduque Francisco Ferdinando e a esposa, Sofia, desencadeando, mesmo como pretexto, a partir da pequena Sérvia, o primeiro grande conflito? Uma minúscula célula humana. Não significa que eu esteja desfazendo do seu valor como criatura, porém necessito formar uma comparação. Usaram-no capciosamente como estopim, ao que mal sabiam o que seria. É o que não podemos admitir que façam conosco em tempo algum. Era um jovem ainda, Gavrilo Princip. Assassinou o herdeiro do império austro-húngaro, em Sarajevo. Tivemos a Primeira Grande Guerra, que Georges Clemenceau (1841-1929) considerou como a que terminaria com todas as outras. O primeiro-ministro da França, naquele tempo, representou-a no Tratado subscrito na Galeria dos Espelhos do Palácio de Versalhes, construído por Luís XIV, o Rei Sol, que também se apagou, por ser passageiro. Esse documento decidiu sobre a divisão dos despojos da Alemanha, subjugada em 1918, e determinou que ela pagasse onerosíssimas indenizações aos vencedores. Não souberam gerenciar a vitória, que requer especial talento. Diversos analistas observam que, por ter sido muito severo, o Tratado oprimiu por demais o povo alemão, deixando-o à mercê do primeiro aventureiro que aparecesse. Isso, entre outros fatores, propiciou a ascensão ao poder de Adolf Hitler (1889-1945), que instituiu, por onde passou, o repugnante racismo como ideologia de Estado. E deu no que deu, porque racismo contra um será fatalmente contra todos. Arrastou os povos, incluído o Brasil, ao Segundo Grande Conflito Mundial (1939-1945), que chacinou e feriu milhões de pessoas. Outro pormenor: o sombrio Adolf subiu ao poder com minoria de votos. Depois, usando de vários artifícios, até mesmo contra o Marechal Hindenburg, destruiu a frágil República de Weimar, tornando-se ditador incontestável. Era um estratego, acham alguns. À serpente denunciada no Apocalipse de Jesus (12:9) não se deve permitir levantar a cabeça de novo. Devemos aludir também ao fato de que ela não se apresenta obrigatoriamente de forma espetacular. É infiltrante, intrometida, astuta. Exerce, com solércia, a sedução. Atentemos para a violência que cresce no mundo! Existem aqueles que, em determinadas circunstâncias, a consideram um “mal necessário”. E assim estabelecem perigoso equívoco.

Então, qualquer ato “pequeno” poderá repercutir globalmente. Não são apenas as medidas próprias de estado que recaem sobre nós, por toda a parte. Não! As nossas atitudes igualmente, por menores que sejamos, refletem-se em extensão. A coletividade somos nós multiplicados. É tal qual uma charada a pedir decifração, um emaranhado de destinos, estabelecendo roteiros nem sempre agradáveis.

Educação e Espiritualidade para a Paz. Foto: Diego Ciuz

Para o Criador, todas as Suas criaturas são importantes. É urgente que aqueles que influenciam o mundo entendam que o ser humano é Patrimônio Divino, antes que seja tarde. Recordemos um antigo ditado que avisa: “O graveto é que derruba a panela”.

O povo precisa instruir-se, espiritual e intelectualmente, para saber melhor influenciar sua própria destinação. Instruído e ecumenicamente espiritualizado, saberá defender-se com acerto no terceiro milênio que apenas se inicia.

José de Paiva Netto – jornalista, radialista, escritor e filósofo.

Ecumenismo, Jesus, Paiva Netto, Paz , , , ,

Jesus e Seu Pai

No próximo domingo, celebraremos o Dia dos Pais. Que alegria! Como são importantes esses benfeitores em nossas existências!

Considero oportuno apresentar-lhes trechos de uma página digna da admiração de todos. Seu autor, o Espírito Emmanuel, foi buscar no Evangelho do Cristo um excelente modelo para nós. Por intermédio do mundialmente famoso médium Chico Xavier (1910-2002), ele exalta a relevância que teve o bem-aventurado pai de Jesus na Terra.

“José da Galileia foi um homem tão profundamente espiritual que seu vulto sublime escapa às análises limitadas de quem não pode prescindir do material humano para um serviço de definições.

“Já pensaste no cristianismo sem ele?

“Quando se fala excessivamente em falência das criaturas, recordemos que houve tempo em que Maria e o Cristo foram confiados pelas Forças Divinas a um homem.

“Entretanto, embora honrado pela solicitação de um anjo, nunca se vangloriou de dádiva tão alta.

“Não obstante contemplar a sedução que Jesus exercia sobre os doutores, nunca abandonou a sua carpintaria.

“O mundo não tem outras notícias de suas atividades senão aquelas de atender às ordenações humanas, cumprindo um édito de César e as que no-lo mostram no templo e no lar, entre a adoração e o trabalho.

“Sem qualquer situação de evidência, deu a Jesus tudo quanto podia dar.

“A ele deve o cristianismo a porta da primeira hora, mas José passou no mundo dentro do divino silêncio de Deus”.

PILARES DA FAMÍLIA

Se observarmos à nossa volta, não será difícil identificar numerosos dedicados pais, cuja discrição em cumprir seus nobres deveres nos faz lembrar o exemplo de José da Galileia.

A maioria deles, provavelmente, não terá seus nomes catalogados pela história; contudo, o

Representação de Jesus, o Cristo Ecumênico, o Divino Estadista, com Seus pais, Maria e José.

resultado de seus esforços educativos se prolongará nas virtudes que souberem desenvolver nos filhos ou nos bons frutos de nobilitantes obras realizadas. Nas árvores genealógicas em que estão inseridos e com a qual decididamente colaboram, poderão ser reconhecidos como seus grandes pilares.

Por vezes silenciosos, mas atuantes, ao lado de suas companheiras, nossas generosas mães, promovem a sustentabilidade da luminosa instituição da Família. No seio delas, quando sob a proteção de Deus, a paz mundial encontra campo fértil de semeadura e germinação.

Aproveito para saudar também meu querido pai, Bruno Simões de Paiva (1911-2000). Quanto aprendi com ele! Recentemente comentava com alguns auxiliares que foi ele quem me instruiu sobre a expressão latina “Fiat Lux”, extraída do livro Gênesis, de Moisés, 1:3 e 4: “E disse Deus: ‘Faça-se a Luz!’ E houve Luz. E viu Deus que era boa a Luz; e fez a separação entre a Luz e as trevas”. De seus bondosos ensinamentos, sempre junto do amor de minha mãe, Idalina Cecília (1913-1994), muita claridade se fez em meu aprendizado juvenil.

Aos pais que me honram hoje com sua leitura, as homenagens de todos nós da LBV.

José de Paiva Netto – jornalista, radialista, escritor e filósofo.

Evangelho, Jesus, Paiva Netto , , ,

Leis superiores

“Nenhuma obra humana pode ser grande e duradoura se não se inspirar, na teoria e na prática, em seus princípios e em suas explicações, nas leis eternas do Universo. Tudo o que é concebido e edificado fora das leis superiores se funda na areia e desmorona.”

Extraído do monumental livro “O Problema do Ser, do destino e da Dor”, de autoria do escritor, educador e filósofo francês, Leon Denis (1846-1927).

Filosofia, Leon Denis, Sabedoria, Universo , , ,

Leon Denis

“Aqueles a quem incumbe a alta missão de esclarecer e guiar a alma humana parece ignorar a sua natureza e os seus verdadeiros destinos.”

Extraído do livro “O Problema do Ser, do Destino e da Dor”, de autoria de Leon Denis, escritor e filósofo francês.

Alma, Educação, Filosofia, Leon Denis, Sabedoria , , , ,

Política de Deus

Paiva Netto“A Política de Deus traz a cultura da Sabedoria Espiritual.”

Paiva Netto

Filosofia, LBV, Paiva Netto, Sabedoria , , , ,

O melhor medicamento

Paiva Netto“O melhor medicamento que temos é o Evangelho de Jesus.”

Paiva Netto

Evangelho, Jesus, Paiva Netto , ,

Deserto, seca, poluição…

Na terça-feira, 17/6, tivemos o Dia Mundial de Combate à Desertificação e à Seca. Vale, portanto, ressaltar recentes e alarmantes estatísticas. Uma delas vem da Organização Mundial da Saúde (OMS). “Quase nove em cada dez habitantes das cidades do mundo estão sujeitos a níveis de poluição acima do aceitável segundo os padrões da OMS”, destacou a “Agência Brasil”. Depois, conforme noticiou a “Deutsche Welle”, uma pesquisa do Pacto pela Restauração da Mata Atlântica diz que os reservatórios de água no país, considerados críticos pela Agência Nacional de Águas (ANA), perderam em média 80% de sua cobertura florestal. 

Ora, os danosos impactos desse verdadeiro “arboricídio” estão aí. O ar, o solo e a água diariamente escasseiam em qualidade, fertilidade e abundância.

A vida pede solidariedade – Foto: Divulgação

 

CUIDADO, ESTAMOS RESPIRANDO A MORTE

Há quase 14 anos, em 1º. de julho de 2000, a revista “Manchete” publicou um artigo meu que parece até que foi escrito hoje:

Atualmente, em vastas regiões da Terra, o simples ato de respirar corresponde à abreviação da vida. Sofrimentos de origem pulmonar e alérgica crescem em progressão geométrica. Hospitais e consultórios de especialistas vivem lotados com as vítimas das mais diferentes impurezas.

Abeirar-se do escapamento de um veículo é suicídio, tal a adulteração de combustível vigente por aí. Isso sem citar os motores desregulados…

Quando você se aproxima, por estrada, via aérea ou marítima, de grandes centros populacionais do mundo, logo avista paisagem sitiada por oceano de gases nocivos. 

Crianças e idosos moram lá… Merecem respeito. 

No entanto, de maneira implacável, sua saúde vai sendo minada. A começar pela psíquica, porquanto as mentes humanas vêm padecendo toda espécie de pressões. Por isso, pouco adiantará cercar-se de muros cada vez mais altos, se de antemão a ameaça estiver dentro de casa, atingindo o corpo e a psicologia do ser.

Em cidades praieiras, a despeito do mar, o envenenamento atmosférico avança, sem referência à contaminação das águas e das areias… O que surpreende é constituírem, muitas delas, metrópoles altamente politizadas, e só de algum tempo para cá seus habitantes na verdade despertarem para tão terrível risco.

Despoluir qualquer área urbana ou rural deveria fazer parte do programa corajoso do político que realmente a amasse. Não se pode esperar que isso apenas ocorra quando se torna assunto lucrativo. Ora, nada mais proveitoso do que cuidar do cidadão, o Capital de Deus. 

As questões são múltiplas, mas esta é gravíssima: estamos respirando a morte. Encontramo-nos diante de um tipo de progresso que, ao mesmo tempo, espalha ruína. A nossa própria.

 

Antoine de Saint-Exupéry – Foto: Reprodução LBV

Comprova-se a precisão urgente de ampliar em largo espectro a consciência ecológica do povo, antes que a queda de sua qualidade de vida seja irreversível. Este tem sido o desafio enfrentado por vários idealistas pragmáticos. Entretanto, por vezes, a ganância revela-se maior que a razão. O descuido no preparo de certas comunidades, para que não esterilizem o solo, mostra-se superior ao instinto de sobrevivência. (…)

A infinidade de poluições que vêm prejudicando a vida de cada um deriva da falência moral que, de uma forma ou de outra, inferniza a todos. Viver no presente momento é administrar o perigo. Mas ainda há tempo de acolhermos a asserção de Antoine de Saint-Exupéry (1900-1944): “É preciso construir estradas entre os homens”.Realmente, porque cada vez menos nos estamos encontrando nos caminhos da existência como irmãos. Longe da Fraternidade, não desfrutaremos a Paz.

Autor: José de Paiva Netto – educador, jornalista, radialista e filósofo.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Ecologia, Natureza, Paiva Netto, Paz , , , , ,